Bulldog Americano

Nome da Raça

Bulldog Americano

Porte

Grande

Peso

Fêmeas: 27-40 kg Machos: 36-54 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 55-68 cm Machos: 55-68 cm

Nível de atividade

Alta

Temperamento

Forte, ágil, protetor

Adestrabilidade

Muito Alta

Introdução

Origem

Bulldogs, na Inglaterra, eram cães de trabalho que, originalmente, pastoreavam o gado e guardavam a propriedade de seus donos. A força, a coragem e a familiaridade com os rebanhos os levou à popularidade no brutal esporte de caça ao boi.

Quando este esporte foi proscrito na Inglaterra, o tipo original de Bulldog desapareceu e em seu lugar surgiu um novo tipo de cão, mais curto, mais troncudo, menos atlético que conhecemos hoje como Bulldog Inglês. 

O Bulldog original, entretanto, foi preservado por classes trabalhadoras de imigrantes que trouxeram seus cães de trabalho para o Sul da América do Norte. Pequenos fazendeiros e rancheiros usaram este cão de trabalho polivalente para muitas tarefas. 

Ao fim da 2ª Guerra Mundial, entretanto a raça quase se extinguiu. O Sr. John D. Johnson, um veterano de Guerra, decidiu reerguer esta raça. Junto com Alan Scott e muitos outros criadores, Johnson começou, cuidadosamente, a criar Bulldogs, mantendo registros cuidadosos, sempre com a atenção voltada para a manutenção da saúde animal e suas habilidades para o trabalho.

Por causa dos muitos tipos de trabalhos praticados pela raça, muitas linhas distintas estiveram envolvidas, cada uma delas enfatizando os traços exigidos para a execução de um trabalho específico. As linhas mais conhecidas são referidas como as dos tipos Johnson e Scott. 

Os cães Johnson são mais maciços, com cabeças maiores, mais largas e focinhos mais curtos com uma mordedura prognata inferior definida. Os cães do tipo Scott eram algo mais leves em musculatura e ossos do que as do tipo Johnson, com uma cabeça menos semelhante aos Mastiffs. 

Hoje em dia, contudo, a maioria dos Bulldogs Americanos tem cruzamento entre as duas ou mais destas linhas e não são mais facilmente distinguíveis. O Bulldog Americano moderno continua a servir como um cão para todos os fins; um cão de guarda destemido e firme; e uma companhia leal para a família.

Nome original

American Bulldog

País de origem

Estados Unidos da América

Características gerais

Aspectos raciais

A cabeça é grande e larga, plana no topo dando uma aparência quadrada com focinho de comprimento de curto para médio e bem musculoso. A união do focinho com o crânio, forma um bem definido stop. 

Na região craniana, o crânio é grande, plano, profundo e largo entre as orelhas. Visto por cima, o crânio é quadrado. Os músculos das bochechas são proeminentes. O focinho deve ser largo e profundo, nem longo nem estreito. O comprimento não deve ser menor que 3,8 cm nem maior que 7,5 cm (comprimento ideal: 5 a 6,8 cm).

Trufa é grande com largas narinas e abertas. Pode ser de qualquer cor, porém a de pigmentação escura é preferida. A mandíbula deve ser ligeiramente mais protrusa que o maxilar superior, em pelo menos 0,6 cm a 2,5 cm (prognatismo inferior), dependendo do tamanho do cão e o formato da cabeça.

Os olhos são inseridos separados, de forma amendoada para redonda, de tamanho médio e a cor normal é o marrom. Outras cores aceitáveis são cinza, verde ou azul claro. As orelhas são de tamanho pequeno para médio 

O pescoço é ligeiramente arqueado, de comprimento moderado e muito musculoso, quase igual ao comprimento da cabeça.

No tronco, o peito é profundo e moderadamente largo, com amplo espaço para o coração e pulmões. As costelas são bem arqueadas junto à coluna, dando ao corpo profundidade bastante para atingir pelo menos os cotovelos, ou em cães adultos, um pouco mais abaixo.

A linha superior inclina suavemente de uma bem marcada cernelha ao musculoso e largo dorso. O lombo é curto e largo, e ligeiramente arqueado, unindo-se à uma garupa moderadamente inclinada. O flanco é moderadamente esgalgado e firme. 

A cauda é forte e grossa na raiz, afinando para a ponta. Uma falta grave de acordo com o padrão da raça é a cauda enrolada sobre o dorso.

O pelo é curto e macio. As patas são redondas, de tamanho médio, bem arqueadas e firmes. A coloração mais comum é o branco sólido. Outras cores são branco com todas as tonalidades de tigrado (branco, vermelho, amarelo, azul, marrom, preto ou cinza).

Vermelho e branco; castanho e branco; bege e branco; cor de cervo e branco; preto e branco; marrom e branco; mogno e branco; creme e branco. Preto sólido e qualquer outra cor sem um mínimo de 25% de branco, não é aceitável.

A combinação dos principais componentes do conjunto dos anteriores, ombros até as patas, deve ser musculosa e ligeiramente inclinada. As pernas devem ser retas. A estrutura óssea é de média para pesada, capaz de aguentar um cão grande. Os membros posteriores são largos e musculosos, mostrando força e velocidade, não tão fortes como os ombros.

A marcha natural da raça, quando em trote, a movimentação é sem esforço, suave, poderosa e bem coordenada, mostrando bom alcance e direção. Linha superior permanece em nível com somente uma ligeira flexibilidade para indicar agilidade.

Vistas de qualquer posição, as pernas não viram nem para fora nem para dentro; as patas não cruzam ou interferem no movimento do outro. A medida que a velocidade aumenta, as patas tendem a convergir para a linha central de equilíbrio. Movimentação pobre deve ser penalizada na medida em que prejudica a sua habilidade para desenvolver suas tarefas.

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Bulldog Americano normalmente alegra muito seus donos. A raça pode ser altamente inteligente e treinável, além de serem companheiros de família. É importante treinar a raça com um olho em direção a sua natureza sensível.

Ele tende a responder melhor à orientação amorosa, mas firme. Powell diz que os Bulldogs Americanos geralmente odeiam serem repreendidos pelos humanos, quando isso acontece, podem ignorar o treinamento. 

O Bulldog Americano tem uma ética de trabalho insuperável. Como cães familiares, tendem a ser protetores com crianças e mulheres.

Eles se dão bem em casas com crianças de qualquer idade, mas não são babás. Nenhum cão nunca deve ser deixado sem supervisão com uma criança pequena, especialmente uma que talvez não esteja ciente de seu próprio peso e força.

Você também deve supervisionar o cão quando os amigos de seus filhos estão em casa para se certificar de que ele não tenta intervir se ele acha que "seus" filhos estão sendo prejudicados durante o jogo.

Quando eles crescem com gatos e outros cães, os Bulldogs Americanos geralmente se dão bem com eles, mas eles podem ser agressivos em relação aos cachorros e cães desconhecidos. Se eles estão em uma casa com outros cães, eles tendem a se dar melhor com um sexo oposto.

O Bulldog Americano deve ser socializado desde o primeiro dia. Ele deve conhecer muitas pessoas novas e outros animais e experimentar várias situações e lugares diferentes.

Esta exposição precoce o ajudará a aprender a ter confiança em ambientes incomuns e ajudará a inibir seu instinto de ter medo ou até morder quando ele encontra situações ou pessoas desconhecidas. O filhote de cachorro perfeito não se forma completamente a partir da caixa de reprodução.

Ele é um produto de seus antecedentes e reprodução. Procure um filhote de cachorro cujos pais tenham personalidades agradáveis que tenha sido bem socializado desde uma idade precoce.

O Bulldog Americano tem um pelo curto que pode parecer macio ou rígido. A raça perde pelos de forma moderada durante todo o ano. Escove o animal de uma a duas vezes por semana e o resto trata-se de cuidados básicos como escovação dentária e alimentação de boa qualidade.

Sensibilidade a fármacos

Não foram encontrados em literatura relatos de sensibilidade à fármacos específicos relacionados à raça em questão.

Predisposição à doenças

Oftálmicas

Lipofuscinose ceroide neuronal:

  • Condição rara;
  • Suspeita-se de fator hereditário.

Referências bibliográficas

CBKC Confederação Brasileira de Cinofilia. Padrão Oficial da Raça: Bulldog Americano. Disponível em: http://cbkc.org/racas. Acesso em: 15 fev. 2018. 

FOGLE, B. Guia Ilustrado Zahar Cães. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. 344 p.

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 3º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2018. 398 p.

Nestlé Purina Australia. Dog Breeds. American Bulldog. Disponível em: http://www.purina.com.au/owning-a-dog/dog-breeds/AmericanBulldog. Acesso em: 10 fev. 2018

Pet guide. Breeds. Dog Breeds. American Bulldog. Disponível em: http://www.petguide.com/breeds/dogs/americanbulldog. Acesso em: 10 fev. 2018

Vet Street. Dog Breeds. American Bulldog. Disponível em: http://www.vetstreet.com/dogs/american-bulldog. Acesso em: 10 fev. 2018

Imagem disponível em: https://vetstreet.brightspotcdn.com/dims4/default/a473f63/2147483647/thumbnail/645x380/quality/90/?url=https%3A%2F%2Fvetstreet-brightspot.s3.amazonaws.com%2Fc5%2Fc9%2Fd3e1617243a0af32689019bba22c%2Famerican-bulldog-ap-04q7il-645-x-380.jpg