Cocker Spaniel Inglês

Nome da Raça

Cocker Spaniel Inglês

Porte

Médio

Peso

Fêmeas: 13-14,5 kg Machos: 13-14,5 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 38-39 cm Machos: 39-41 cm

Nível de atividade

Moderada

Temperamento

Afetuoso, alegre, engraçado

Adestrabilidade

Muito Alta

Introdução

Origem

O termo spaniel costumava ser aplicado a qualquer cão que caçasse e participasse de jogos de caça aos pássaros. Eles geralmente eram diferenciados por tamanho ou pelo jeito que eles trabalhavam. Por exemplo, havia spaniels terrestres e spaniels de água. Ao mesmo tempo, diferentes tipos poderiam nascer na mesma ninhada, mas eventualmente foram separados em raças: cocker spaniel e Springer Spaniels. 

Nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha, o Cocker desenvolveu um aspecto diferente, tanto que começaram a ser considerados raças separadas. O Clube de cocker spaniel inglês da América foi formado em 1935 para pessoas que apreciaram as diferentes aparências e habilidades do Cocker Inglês. 

O American Kennel Club reconheceu como uma raça individual em 1946. O cocker americano tornou-se mais popular, mas os adeptos do Cocker inglês consideram seus cachorros como um segredo bem guardado. Hoje, o Cocker Inglês ocupa o lugar 66 entre as raças registradas pelo AKC.

Nome original

Cocker Spaniel Inglês

Outra designação

Grã-Bretanha

Características gerais

Aspectos raciais

A aparência geral do Cocker Spaniel Inglês é a de um cão alegre, robusto, esportivo, bem balanceado e compacto. O crânio é bem desenvolvido, possui stop bem marcado. A rufa é suficientemente larga para favorecer a capacidade do faro.

O focinho é quadrado e possui maxilares fortes, com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura. Os olhos são geralmente marrom escuros ou marrons, jamais claros, porém, no caso de cães de cor fígado, fígado ruão e fígado e branco, os olhos são de cor avelã escura, em harmonia com a pelagem. Possuem expressão de inteligência e meiguice, porém alerta. 

Suas orelhas são lobulares, de inserção baixa, no nível dos olhos. São bem revestidas com pelos longos e sedosos. Seu peitoral é bem desenvolvido e profundo, nem muito largo nem muito estreito na frente. 

A cauda é inserida ligeiramente abaixo da linha do dorso. Deve ser alegre em movimento e portada em nível, nunca voltada para cima. Anteriormente era costume o corte da cauda nos países onde é permitido. Se não cortada, a cauda deve ser levemente curvada, de comprimento moderado, proporcional ao tamanho do corpo dando uma aparência geral equilibrada. 

O pelo é de textura sedosa, bem franjado nos anteriores, corpo e acima dos jarretes. A sua cor pode ser sólida, como preto, vermelho, dourado, fígado (chocolate, preto e castanho, fígado e castanho. A cor branca não é permitida, exceto uma pequena quantidade no peito. Pode ser também particolores, como bicolores (preto e branco, laranja e branco, fígado e branco, limão e branco - todos com ou sem manchas) e tricolores (preto, branco e castanho, fígado, branco e castanho).

Pelo

Semi-longo

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Cocker Spaniel Inglês possui os traços comuns a todos os spaniels: ele é afetuoso, alegre e dedicado a sua família. Engraçado e curioso, ele vai fazer você rir, e ele pode ser uma boa escolha para famílias com filhos. Ele também se dá bem com outros animais de estimação, como gatos, se for criado desde jovem com eles. Ele pode ser reservado com estranhos e sua natureza alerta o torna um bom cão de guarda. 

Planeje estimulá-lo com exercícios diários de sob a forma de uma caminhada longa ou uma corrida de meia hora. Treine o Cocker Inglês com firmeza e consistência para melhores resultados, use técnicas de reforço positivo, tais como elogios, brinquedos e petiscos como recompensas. 

O Cocker Spaniel Inglês nunca deve ser tímido ou agressivo, mas há alguns problemas com o temperamento na raça. A socialização e o treinamento devem começar quando ainda são filhotes para que não se tornem cães obstinados. 

O pelame do Cocker Spaniel Inglês é de tamanho médio e deverá ser escovado no mínimo duas ou três vezes por semana para evitar acúmulo de sujeira e para remoção de pelos mortos e nós. 

Você também pode realizar tosa higiênica de dois em dois meses. O resto envolve manejo básico como idas periódicas ao veterinário, alimentação de boa qualidade e escovação dentária semanal. Mais importante, mantenha as orelhas limpas e secas para evitar que infecções. 

Sensibilidade a fármacos

Não foram encontrados em literatura relatos de sensibilidade à fármacos específicos relacionados à raça em questão.

Predisposição à doenças

Cardiovasculares

Cardiomiopatia dilatada:

  • Nesta raça, está geralmente associada à deficiência de taurina;
  • Pode responder à suplementação de taurina e L-carnitina;
  • Maior prevalência em cães mais velhos;
  • Mais comum em machos.

Degeneração mixomatosa da valva mitral

Dermatológicas

Atopia

  • Condição comum;
  • Cães nascidos no verão e primavera são mais predispostos;
  • Alguns estudos mostram ausência de predileção sexual e outros relatam maior incidência em fêmeas

Criptococose:

  • Geralmente acomete cães até 4 anos;
  • Viver com acesso à rua e exposição às fezes de aves são fatores de risco.

Dermatite por Malassezia:

  • Condição comum;
  • Acomete qualquer idade;
  • Pode ser sazonal.

Seborréia primária:

  • Provavelmente tem caráter hereditário;
  • As manifestações clínicas costumam aparecer em idade precoce e tendem a piorar com o tempo.

Dermatose responsiva à Vitamina A:

  • Condição incomum.

Endócrinas

Hiperadrenocorticismo:

  • Idade média do momento do diagnóstico: 10 anos.

Hipotireoidismo: 

  • Pode ocorrer em cães jovens;
  • Machos e fêmeas castrados têm maior risco de desenvolver.

Fisiológicas

Anomalia de Pelger-Huet:

  • Segmentação reduzida do núcleo de granulócitos;
  • Aparenta ser insignificante clinicamente.

Gastrointestinais

Hepatite crônica:

  • Machos mais predispostos;
  • Em alguns casos, pode estar associada ao acúmulo hepático de antitripsina alfa-1.

Neoplasia nasofaríngea

Pancreatite

Hematológicas e imunológicas

Hemofilia A:

  • Deficiência moderada a severa do fator VIII de coagulação na raça.

Deficiência de fator II:

  • Manifestações clínicas severas na raça.

Deficiência de fator X:

  • Manifestações clínicas severas na raça.

Hemofilia B:

  • Relacionada a deficiência do fator IX;
  • Menos comum que o tipo A.

Anemia hemolítica imunomediada:

  • Doença comum;
  • Geralmente acometa animais jovens a meia idade;
  • Pode ter variações sazonais.

Trombocitopenia imunomediada:

  • Condição comum;
  • Provavelmente possui fator hereditário;
  • Fêmeas mais acometidas.

Musculoesqueléticas

Displasia de cotovelo congênita:

  • Incomum;
  • Luxação úmero-ulnar é vista nesta raça;
  • Ocorre nos primeiros 3 meses de vida.

Hipocondrodisplasia:

  • Incomum;
  • Causa nanismo.

Luxação patelar:

  • Condição comum;
  • Luxação lateral é mais comum nesta raça.

Ossificação incompleta do côndilo umeral:

  • Causa desconhecida;
  • Machos mais predispostos.

Espondilose deformans:

  • Sinais clínicos geralmente insignificantes;
  • Condição comum;
  • Pode estar associada à DDIV tipo II.

Displasia temporo-mandibular:

  • Condição congênita;
  • Geralmente afeta cães a partir de 6 meses de idade.

Neoplásicas

Adenocarcinoma do saco anal

Tumor de células basais (tricoblastoma)

Histiocitoma cutâneo

Tumores de glândula ceruminosa

Linfoma cutâneo

Papilomas cutâneos sem associação viral

  • Visto em cães mais velhos;
  • Mais comum em machos.

Plasmocitoma cutâneo:

  • Sítios comuns: orelhas, lábio e dígitos.

Fibrossarcoma cutâneo

Melanoma cutâneo

Neoplasia orofaríngea

Adenomas de glândula perianal

Tumor de glândula pituitária:

  • Resulta em hiperadrenocorticismo.

Tumores de glândula sebácea:

  • Fêmeas são mais predispostas a hiperplasia nodular sebácea;
  • Sítios comuns: membros, dorso, pálpebras (hiperplasia) e cabeça (adenoma).

Tumor de glândula sudorípara:

  • Adenocarcinoma é o mais comum na raça;
  • Idade média: 10 anos.

Neurológicas

Epilepsia idiopática:

  • Condição comum;
  • Pode aparecer entre os 6 meses e 6 anos de idade.

Paralisia facial idiopática:

  • Etiologia desconhecida;
  • Sinais clínicos ocorrem de forma aguda em adultos.

Doença de disco intervertebral:

  • Comum;
  • Adultos mais acometidos.

Leucodistrofia:

  • Raro;
  • Sinais clínicos aparecem entre 3 e 6 meses.

Degeneração neuronal

  • Raro;
  • Início dos sinais entre 10-14 meses.

Surdez congênita:

  • Ocorre mais comumente em cães brancos;
  • Sinais clínicos vistos desde o nascimento.

Síndrome vestibular congênita:

  • Sinais vistos antes dos 3 meses de idade;
  • Condição rara.

Oftálmicas

Entrópio

Ectrópio: 

  • Geralmente nas pálpebras de baixo.

Atrofia retiniana progressiva generalizada:

  • Sinais vistos entre 4 a 8 anos.

Glaucoma primário:

  • Idade média: 6.8 anos;
  • Fêmeas mais predispostas.

Distiquíase:

  • Comum na raça.

Catarata

Ceratoconjuntivite seca

Prolapso da membrana nictitante (“cherry eye”)

Displasia de retina

Atrofia de retina progressiva central:

  • Pode ter relação com deficiência no metabolismo de vitamina E.  

Renais e urinárias

Urolitíase:

  • Cálculos de sílica: machos mais predispostos;
  • Cálculos de estruvita: fêmeas mais predispostas.

Reprodutivas

Hiperplasia endometrial cística e piometra:

  • Fêmeas inteiras e mais velhas são mais predispostas.

Distocia:

  • Nesta raça, pode ocorrer devido a falha no desenvolvimento de instintos maternos em cadelas em primo-gestação.

Respiratórias e pneumológicas

Síndrome respiratória dos cães braquicefálicos:

  • Condição comum;
  • Raça é menos acometida que as raças braquicefálicas tradicionais, mas pode ocorrer;
  • Afeta cães jovens.

Referências bibliográficas

CBKC Confederação Brasileira de Cinofilia. Padrão Oficial da Raça: Cocker Spaniel Inglês. Disponível em: http://cbkc.org/racas. Acesso em: 15 fev. 2018. 

FOGLE, B. Guia Ilustrado Zahar Cães. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. 344 p.

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 3º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2018. 398 p.

Nestlé Purina Australia. Dog Breeds. English Cocker Spaniel. Disponível em: http://www.purina.com.au/owning-a-dog/dog-breeds/englishcockerspaniel. Acesso em: 10 fev. 2018

Pet guide. Breeds. Dog Breeds. English Cocker Spaniel. Disponível em: http://www.petguide.com/breeds/dogs/englishcockerspaniel. Acesso em: 10 fev. 2018

Vet Street. Dog Breeds. English Cocker Spaniel. Disponível em: http://www.vetstreet.com/dogs/english-cocker-spaniel. Acesso em: 10 fev. 2018

Imagem disponível em: https://vetstreet.brightspotcdn.com/dims4/default/bb88154/2147483647/thumbnail/645x380/quality/90/?url=https%3A%2F%2Fvetstreet-brightspot.s3.amazonaws.com%2F0e%2Fa2%2Fdfa6fb254a19ba51ad33ef39fba9%2Fenglish-cocker-spaniel-AP-1JXXED-645sm52313.jpg