Shar Pei

Nome da Raça

Shar Pei

Porte

Médio

Peso

Fêmeas: 20 a 28 kg. Machos: 20 a 28 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 44 a 51 cm. Machos: 44 a 51 cm

Nível de atividade

Baixa/ Média

Temperamento

Calmo, independente, leal e afetuoso

Adestrabilidade

Média/ Alta

Introdução

Origem

A história da raça tem início na China, na dinastia Han (206 a.C. a 220 d.C.), mas acredita-se que sua origem possa ser de até 2.000 anos atrás. A cidade de Dialak, na província de Kwun Tung, é provavelmente seu lugar de origem.

Não é possível afirmar quais são seus ancestrais, porém suspeita-se que a raça tenha surgido a partir do mesmo ancestral que o Chow Chow, pois ambas as raças possuem língua de coloração preto-azulada.

A raça foi originalmente desenvolvida para desempenhar a função de guarda nos palácios chineses e durante muito tempo, foi criado como um cão de trabalho. Mais tarde, foram utilizados como cães de combate e para isto realizaram-se diversos cruzamentos inter-raciais nas décadas de 1960 e 1970. Portanto, o padrão oficial estabelecido primeiramente para o Shar Pei em 1981 definia características diferentes da raça original.

Em 1949, quando foi instituído o comunismo na China, a raça esteve em perigo de extinção, pois a posse de animais de estimação passou a ser proibida. Os cães que não fossem comprovadamente usados para auxiliar o homem eram sacrificados.

O Shar Pei foi reconhecido pela AKC em 1992.

Nome original

Shar Pei

País de origem

China

Características gerais

Aspectos raciais

Seu aspecto geral é de um cão de tamanho médio, ativo, compacto, curto e quadrado. As rugas sobre o crânio e a cernelha, as pequenas orelhas e seu focinho de hipopótamo dão ao Shar Pei uma aparência única. Os machos são mais robustos que as fêmeas.

Apresenta cabeça um pouco grande em proporção ao corpo. As rugas na testa e nas bochechas se estendem para baixo formando a papada. Possui stop moderado, trufa grande, larga, de preferência preta, sendo permitida qualquer cor que se harmonize com a cor da pelagem. 

As narinas são bem abertas e o focinho é característico da raça, apresentando-se largo desde a raiz até a ponta da trufa, sem sugerir afilamento. Os lábios e a parte superior do focinho são bem carnudos. 

A língua, o céu da boca, as gengivas e os lábios são preferivelmente em preto-azulado, mas a língua pode ser manchada de rosa. Em cães de pelagem clara, a língua é de cor lavanda sólido. Apresentam mordedura em tesoura.

Os olhos são escuros, amendoados, com uma expressão carrancuda. Cor clara é permitida em cães com coloração clara (os chamados diluídos). 

As orelhas são muito pequenas, bem espessas, de formato triangular equilátero. As pontas são ligeiramente arredondadas.

O pescoço tem comprimento médio, forte, bem implantado nos ombros. Dobras de pele no corpo em cães maduros são altamente indesejáveis, exceto na cernelha e na raiz da cauda onde as dobras devem ser moderadas.

A cauda é grossa e redonda na raiz, afilando-se gradualmente na ponta. Ela é inserida bem alta, uma característica distinta da raça. Os membros anteriores possuem comprimento moderado e boa ossatura, não apresentando dobras na pele. Os posteriores são musculosos, fortes e moderadamente angulados. Rugas nas coxas, nos metatarsos, assim como na pele grossa dos jarretes, são indesejáveis.

O movimento preferido é o trote. A movimentação é livre, balanceada, ativa, com bom alcance dos anteriores e boa propulsão dos posteriores. O pelo é muito característico da raça, apresenta-se curto, duro e eriçado. No corpo a pelagem é reta e separada, mas, geralmente, é mais assentado nos membros. Não tem subpelo.

Cor: todas as cores sólidas são aceitas, exceto o branco. A cauda e a parte posterior das coxas são, frequentemente, de uma cor mais clara. Um sombreado mais escuro sobre o dorso e nas orelhas é admissível.

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Shar Pei é bastante leal, alerta, fiel, protetor e afetuoso à família. Por ser independente e corajoso é um bom cão de guarda. É considerado um cão silencioso, latindo somente quando necessário. Geralmente, é reservado com estranhos.

Apesar de inteligente, pode ser teimoso durante o adestramento de obediência, portanto é uma raça indicada para donos experientes, que saibam educar e disciplinar o filhote desde cedo. 

Possui expectativa de vida de 8 a 12 anos de idade.

Quando filhote, possui numerosas pregas, as quais vão diminuindo à medida que cresce. Contudo, essas regiões requerem cuidados para evitar surgimento de doenças dermatológicas. Portanto, após o banho, deve-se secar corretamente entre as dobras de pele do animal para evitar acúmulo de umidade, o que predispõe a afecções. O Shar Pei não deve ser tosado.

Quando as pregas da cabeça caem sobre os olhos do Shar Pei, as pálpebras e os cílios são enrolados para dentro, causando o entrópio. Por isso é costume submeter os filhotes a um procedimento cirúrgico para corrigir este problema.

É um animal propenso ao superaquecimento, desta forma é preciso mantê-lo em um espaço fresco e evitar sair com ele em dias muito quentes, pois não se adapta muito bem ao calor. É um cão para viver dentro de casa, junto à família, mas que também precisa de espaço para se exercitar mentalmente e fisicamente.

Predisposição à doenças

Congênitas

Megaesôfago

Dermatológicas

Intertrigo

Demodiciose

Afecções por fungos e bactérias

Gastrointestinais

Doença inflamatória intestinal

Linfangiectasia intestinal

Genéticas

Amiloidose renal familiar (Febre (síndrome) familiar dos Shar-peis)

Hepatobiliares

Amiloidose hepática

Oftálmicas

Entrópio (pode ser acompanhado por prolapso de terceira pálpebra)

Referências bibliográficas

Padrão Oficial da Raça Shar Pei. CBKC, agosto, 1999. Disponível em: < http://cbkc.org/application/views/docs/padroes/padrao-raca_65.pdf>

Shar Pei. Guia de Raças. Disponível em: < http://www.guiaderacas.com.br/sharpei.shtml>

Shar Pei – Raças Caninas. Disponível em: < http://www.petvale.com.br/cachorros/racas-caninas/shar-pei/>

Ficha do Shar Pei. Disponível em: < http://www.cachorrogato.com.br/racas-caes/shar-pei/>

Shar Pei. Guia de Bichos. Disponível em: < http://canaldopet.ig.com.br/guia-bichos/cachorros/shar-pei/57a23d635ac14f092055b36f.html>

Shar Pei. Disponível em: <http://tudosobrecachorros.com.br/shar-pei-2/>

Saiba quais cuidados especiais merecem as rugas do Shar Pei. Disponível em: < https://www.clubeparacachorros.com.br/cuidados/saiba-quais-cuidados-especiais-merecem-as-rugas-do-shar-pei/>

Cardoso, Mauro José Lahm et al. Dermatopatias em cães: Revisão de 257 casos. Archives of Veterinary Science, v. 16, n. 2, p. 66-74, 2011. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/72951>

Suspeita de febre familiar dos cães shar-peis chineses. Ciência Rural, Santa Maria, v.35, n.3, p.713-716, mai-jun, 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/%0D/cr/v35n3/a37v35n3.pdf>

Federation Cynologique Internatiole. Disponível em: <http://www.fci.be/en/>

JERICÓ, Márcia Marques; ANDRADE NETO, João Pedro de; KOGIKA, Márcia Mery. Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. 1. ed. Rio de Janeiro: Roca, 2015.

Imagem: Disponível em: < https://meusanimais.com.br/as-5-racas-caes-rugas/>