Shiba

Nome da Raça

Shiba

Porte

Pequeno

Peso

Fêmeas: 9 a 14 kg. Machos: 9 a 14 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 37 cm (± 1,5 cm). Machos: 40 cm (± 1,5 cm)

Nível de atividade

Média/Alta

Temperamento

Alerta, fiel e companheiro

Adestrabilidade

Média/Alta

Introdução

Origem

O Shiba, também chamado de Shiba Inu, é o menor e mais antigo dos cães japoneses. Sua origem do não é bem definida, mas é claramente do patrimônio Spitz e pode ter sido usado desde por volta do ano 300 a.C. como um cão de caça para animais pequenos e pássaros, e ocasionalmente javalis, na região central do Japão. A palavra “shiba”, originalmente, se referia a alguma coisa “pequena”, um “cão pequeno”. 

A raça foi quase extinta devido à Segunda Guerra Mundial e a uma epidemia de cinomose. Para salvar a raça, foram cruzados exemplares das três variedades, resultando no Shiba tal como conhecemos atualmente.

Em 1937 a Shiba foi declarado um “Monumento Natural”, depois que a raça foi criada e aperfeiçoada para se tornar a raça superior, como hoje é conhecida. No Japão é considerado como o número um dos cães de companhia. A raça foi oficialmente reconhecida pela AKC em 1992.

Nome original

Shiba

País de origem

Japão

Características gerais

Aspectos raciais

Sua aparência geral é de um cão de tamanho pequeno, bem balanceado, de boa ossatura e com músculos bem desenvolvidos. Possui constituição sólida e é de ação rápida, livre e bonita.

Sua cabeça tem crânio largo. Seu stop é bem definido com ligeiro sulco. Possui trufa de cor preta e cana nasal reta. O focinho é moderadamente espesso e afilando. 

Os lábios são aderentes e os dentes são fortes com mordedura em tesoura. Apresenta olhos relativamente pequenos, triangulares e de cor marrom escuro, com cantos exteriores levantados. As orelhas são relativamente pequenas, triangulares, ligeiramente inclinadas para a frente e bem eretas.

O pescoço é grosso, forte e bem balanceado com a cabeça e o corpo. Possui dorso reto e forte e lombo largo e musculoso.

A cauda tem inserção alta e é grossa, portada vigorosamente enrolada ou curvada em forma de foice. A ponta quase alcança os jarretes quando abaixada. Os membros anteriores quando vistos de frente, são retos.

Os posteriores apresentam pernas curtas, mas bem desenvolvidas. As patas apresentam dedos bem fechados e arqueados. As almofadas são duras e elásticas e as unhas são duras e de cor escura.

Sua movimentação é ligeira e viva. Seu pelo é ápero e reto; subpelo macio e denso; pelos da cauda são ligeiramente mais longos e levantados.

Cor: Vermelho, preto e castanho (black and tan), sésamo, preto sésamo e vermelho sésamo.

Definição da cor sésamo:

Sésamo: Mistura igual de pelos brancos e pretos.

Sésamo preto: Mais pelos pretos que brancos.

Sésamo vermelho: Cor básica vermelho, misturada com pelos pretos.

Todas as cores acima mencionadas devem ter “urajiro”, o qual é definido por pelos esbranquiçados nas laterais do focinho e nas bochechas, abaixo da mandíbula e do queixo, no peito e estômago, na parte inferior da cauda e na parte interna das pernas.

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

É um cão de temperamento fiel, agudo nos sentidos e alerta. É uma raça bastante apegada ao proprietário, formando fortes laços, mas sempre mantendo certa distância. Pode ser reservado com estranhos, porém é bastante aberto com crianças.

Tende a ser territorialista e possessivo, com personalidade forte e ousada, assim sendo recomenda-se que seja treinado desde filhote para evitar desobediência no futuro.

Por apresentar fortes instintos de caça, é indicado que esteja de coleira quando levado para passear em locais públicos.

Possui expectativa de vida de 12 a 15 anos de idade.

Em geral, é silencioso, normalmente latindo ao perceber algo estranho. É um animal que se adapta bem dentro de casa ou apartamento desde que pratique exercícios diariamente, já que é um cão bastante ativo.

Sua pelagem deve ser escovada uma ou duas vezes por semana. É um cão naturalmente limpo e sem odor, portanto deve-se evitar banhos em excesso.

Predisposição à doenças

Gastrointestinais

Doença Inflamatória Intestinal

Metabólicas

Hiperpotassemia eritrocitária

Musculoesqueléticas

Displasia coxofemoral

Luxação de patela

Neurológicas

GM1-gangliosidose

  • doença do armazenamento lipossomal

Oftálmicas

Atrofia progressiva de retina

Respiratórias e pneumológicas

Quilotórax

Referências bibliográficas

Padrão Oficial da Raça Shiba. CBKC, junho, 1999. Disponível em: < http://cbkc.org/application/views/docs/padroes/padrao-raca_121.pdf>

Shiba. Guia de Raças. Disponível em: < http://www.guiaderacas.com.br/shiba.shtml>

Shiba Inu. Tudo Sobre Cachorros. Disponível em: <http://tudosobrecachorros.com.br/shiba-inu/>

Shiba Inu. Clube para cachorros. Disponível em: < https://www.clubeparacachorros.com.br/racas/shiba-inu-caracteristicas-saude-cuidados-e-fotos/>

Shiba Inu – Raças Caninas. Pet Vale. Disponível em: < http://www.petvale.com.br/cachorros/racas-caninas/shiba-inu/>

Ficha do Shiba. Cachorro Gato. Disponível em: <http://www.cachorrogato.com.br/racas-caes/shiba/>

Shiba Inu. Raças de Cachorro. Disponível em: <https://www.racasdecachorro.com.br/shiba-inu>

Shiba Inu. AKC. Disponível em: < http://www.akc.org/dog-breeds/shiba-inu/>

Shiba. Guia de Bichos. Canal do Pet. Disponível em: < http://canaldopet.ig.com.br/guia-bichos/cachorros/shiba/57a23d635ac14f092055b371.html>

JERICÓ, Márcia Marques; ANDRADE NETO, João Pedro de; KOGIKA, Márcia Mery. Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. 1. ed. Rio de Janeiro: Roca, 2015.

Imagem: Disponível em: <https://myfirstshiba.com/shiba-inu-temperament/>