Terrier Irlandês

Nome da Raça

Terrier Irlandês

Porte

Médio

Peso

Fêmeas: 11 kg. Machos: 12 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 45,5 cm. Machos: 45,5 cm

Nível de atividade

Alta

Temperamento

Leal, afetuoso, corajoso e inteligente

Adestrabilidade

Alta

Introdução

Origem

O Terrier Irlandês (Irish Terrier) é possivelmente o mais antigo das raças de Terriers irlandeses. Surgiu em Dublin e é provável que tenha alguma relação com o Wolfhound Irlandês, além do Scottish Terrier e do Kerry Blue.  

Segundo pesquisas, o primeiro Terrier Irlandês de linhagem pura nasceu na década de 1880. Antes disso, sua coloração ainda não havia sido fixada. No final do século XIX foram realizados esforços para padronizar sua cor, de modo que no final do século XX, todos os Terriers Irlandeses possuíam a coloração vermelha.

Durante a Primeira Guerra Mundial, foi usado como cão mensageiro na guerra de trincheiras, provando sua inteligência, utilidade e bravura. A raça é famosa até os dias de hoje e está presente em praticamente todos os continentes, como Oceania, América do Norte, África e Europa.

O primeiro clube da raça foi criado em 31 de março de 1879, em Dublin.

Nome original

Irish Terrier

País de origem

Irlanda

Características gerais

Aspectos raciais

Seu aspecto geral é de um cão ativo, de aparência viva e leve. Possui expectativa de vida de 13 a 15 anos de idade. Sua cabeça é longa e livre de rugas. Possui stop pouco visível, exceto em perfil. A trufa é preta, os lábios são quase pretos externamente. Apresenta mordedura em tesoura.

Os olhos têm cor escura, são pequenos, não proeminentes, com expressão calorosa, inteligente e cheia de vida. As orelhas são pequenas e em forma de V, de espessura moderada. O pelo da orelha deve ser curto e mais escuro do que no corpo.

O pescoço tem comprimento justo e se alarga gradualmente para os ombros. O tronco deve ser simétrico, nem muito longo, nem muito curto.

A cauda deve estar altamente inserida. Era costume realizar a caudectomia nesta raça, contudo é importante lembrar que esta prática, se feita apenas para fins estéticos, é proibida por lei no Brasil.

Os membros anteriores e posteriores devem apresentar-se movidos para frente. As patas são fortes, moderadamente pequenas e redondas, com os dedos arqueados e unhas pretas.

Possui pelo denso e de textura de arame, conferindo aparência quebradiça. A pelagem cresce tão perto e fortemente junta que, quando separada com os dedos, a pele não pode ser vista. Cor: deve ser unicolor, sendo vermelho, vermelho trigo ou vermelho amarelado. Branco às vezes no peito. Uma pequena quantidade de branco é frequentemente vista em raças de uma só cor.

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

É um cão extremamente leal, dócil e afetuoso com seus proprietários, todavia uma vez atacado, tem a coragem de um leão e lutará até o fim. Não gosta de ficar por muito tempo sozinho, pois ao se sentir abandonado pode se tornar hiperativo e destrutivo.

Ele é ótimo companheiro para crianças e convive bem com outros cães, se adequadamente socializado. Alerta e ativo, está sempre atento a qualquer ameaça ao seu lar e a sua família, sendo um ótimo cão de guarda.

Por ser independente, teimoso e destemido, a socialização e o treinamento precoce são cruciais para que se torne um animal obediente. Se realizado de forma adequada, a adestramento deste animal é relativamente fácil devido a sua notável inteligência.

Ele vive bem dentro de casa, desde que seja exercitado diariamente, pois é uma raça bastante ativa. Por apresentar forte instinto de caça e gostar de perseguir outros animais, o ideal é andar com o mesmo sempre preso à coleira e em área segura e fechada.

A escovação é importante e deve ser feita com um acessório de cerdas duras. Os pelos desta raça podem enrolar e machucar a pele do cachorro. Os ouvidos devem ser observados e limpos ocasionalmente.

Predisposição à doenças

Cardiovasculares

Estenose Aórtica – Estenose Subaórtica

Dermatológicas

Hiperqueratose dos Coxins

  • início aos 6 meses de idade

Musculoesqueléticas

Distrofia Muscular

  • raro

Renais e urinárias

Doença Renal Familial (Neuropatia Familial)

  • disfunção do transporte através dos túbulos renais

Urolitíase – Cálculos de Cistina

  • cães jovens são mais afetados (2 a 5 anos de idade)
  • quase todos os casos são de machos

Reprodutivas

Piometra

Referências bibliográficas

Irish Terrier. FCI. Disponível em: < http://www.fci.be/Nomenclature/Standards/139g03-en.pdf>

Irish Terrier. UKC. Disponível em: < https://www.ukcdogs.com/irish-terrier>

Irish Terrier. AKC. Disponível em: < http://www.akc.org/dog-breeds/irish-terrier/>

Terrier Irlandês. Raças de Cachorro. Disponível em: <  https://www.racasdecachorro.com.br/terrier-irlandes>

Terrier Irlandês. Canal do Pet. Guia de Bichos. Disponível em: <http://canaldopet.ig.com.br/guia-bichos/cachorros/terrier-irlandes/57a23d505ac14f092055b2e7.html>

Terrier Irlandês. Mundo Animal. Disponível em <http://mundoanimal.net.br/terrier-irlandes/>

THOMAS, A.; O’NEILL, D.; GOUGH, A. Breed Predispositions to Disease in Dogs. Jonh Wiley & Sons Ltd. 3 ed. 2018. 

Imagem: Disponível em: <http://www.vetstreet.com/dogs/irish-terrier>