Informativo Técnico - Ciclo 4 Cuidando do sistema renal de gatos saudáveis

Empresa

Nestlé PURINA

Data de Publicação

31/12/2000

PDF

Produtos Relacionados

Nós acreditamos que as pessoas e os animais de estimação são melhores juntos e estamos comprometidos em ajudar os cães, gatos e seus donos a compartilharem uma vida longa e saudável. Por isso, nos baseamos em 6 pilares:

Cuidando da saúde renal de gatos saudáveis

O sistema renal é responsável por um conjunto de funções que têm como objetivo manter a homeostase corporal. Aproximadamente 25% do débito cardíaco é filtrado pelos rins de forma a excretar resíduos metabólicos e recuperar substâncias filtradas que são necessárias ao organismo, entre elas: proteínas de baixo peso molecular, água e uma variedade de eletrólitos.

As doenças renais em felinos são bastante comuns e podem levar à diminuição da expectativa de vida do animal, causando o óbito em pouco tempo dependendo da gravidade. Estudos americanos indicam que a incidência das doenças renais é de aproximadamente 15% a 20%. Apesar do fato de elas poderem surgir em qualquer idade, 53% dos gatos afetados têm acima de sete anos e os animais sem tratamento adequado têm sua expectativa de vida bastante reduzida. As alterações na saúde renal começam na idade adulta e são irreversíveis, por esse motivo, fornecer uma nutrição que auxilie na manutenção da saúde renal de gatos saudáveis é essencial para manter as estruturas dos rins preservadas e a saúde de todo o trato urinário por mais tempo.

No passado, vários termos diferentes eram utilizados para definir a doença renal: doença renal precoce, insuficiência renal, insuficiência renal precoce - uma série de terminologias com significados confusos e sem um consenso geral sobre sua definição. Atualmente a terminologia mais aceita é Doença Renal. A Doença Renal Crônica (DRC) caracteriza-se pela perda da funcionalidade renal devido a lesões estruturais irreversíveis, que levam à destruição de pelo menos 75% dos néfrons funcionais em ambos os rins. É uma doença de evolução progressiva e irreversível. Embora a DRC tenha esse caráter irreversível e progressivo, a intervenção dietética e terapêutica adequada podem ajudar a:

• Limitar danos adicionais aos rins (por exemplo, quando uma causa subjacente pode ser tratada);
• Retardar a progressão da doença e melhorar significativamente sua expectativa de vida;
• Endereçar complicações que surgem a partir da DRC (por exemplo, hipertensão);
• Aumentar a qualidade de vida do paciente.

A fm de padronizar a classificação e estabelecer o melhor tratamento para cada fase da doença renal foi definida uma classificação, desenvolvida pelo Renal Interest Society International (IRIS). O objetivo do IRIS é ajudar os veterinários a entender a doença renal para que eles possam diagnosticar melhor e tratar a doença em cães e gatos. Na classificação de estágios da doença renal no sistema IRIS, reconhece-se que o paciente tem doença renal e então ele é classificado de acordo com a gravidade e as características da doença.

O estadiamento da doença renal segundo IRIS

Fase 2. Os casos são depois subclassificados com base na proteinúria e na pressão sanguínea. Notar que a relação proteína/creatinina (RPC) e a pressão sanguínea variam independente entre si e entre as outras fases da DRC, deste modo, qualquer nível de proteinúria ou de hipertensão pode ocorrer a qualquer fase da DRC (em qualquer nível de azotemia).

Adaptado do Manual of Canine & Feline Nephrology & Urology (Fig: 5.5) 2ª Edição, editado por J. Elliott & G. Grauer (2006), de acordo com IRIS estadiamento da DRC, 2013. *As porcentagens relativas de função residual são estimativas apenas conceituais. Apoiada por Novartis Animal Health Inc. Baseada on IRIS staging of CKD, 2013.

Otimizando a manutenção da saúde renal

Do ponto de vista nutricional, existem algumas considerações importantes que nos permitem auxiliar na manutenção da saúde e da função renal adequada durante mais tempo. Alguns dos ingredientes envolvidos nessas funções são proteínas de alta qualidade, que permitem um maior aproveitamento e uma menor produção de resíduos; vitaminas C e E e ß-carotenos, que demonstraram ter uma potente função antioxidante os quais ajudam a neutralizar danos oxidativos; ácido graxo ômega-3, que melhora a função de filtração dos rins e modera os processos inflamatórios. Por último, a arginina, um aminoácido essencial para os gatos, que ajuda a assegurar uma regulação apropriada da pressão arterial por parte dos rins. A combinação adequada desses nutrientes produziu um efeito renoprotetor em gatos saudáveis, apoiando a função renal e ajudando a reduzir o processo de envelhecimento.

A tecnologia OptiRenal

A NESTLÉ PURINA formulou a tecnologia OptiRenal especificamente para o cuidado dos rins dos gatos adultos que vivem em ambientes internos (PRO PLAN® Indoor) ou castrados (PRO PLAN® Sterilized). É uma combinação exclusiva de nutrientes que inclui antioxidantes (vitaminas C e E e ß-carotenos), aminoácidos (arginina) e ácido graxo ômega-3 (EPA). Essa combinação de nutrientes ajuda a manter a saúde dos rins e a obter uma atividade e função renal ideais.


• Arginina. É o precursor a partir do qual se forma óxido nítrico nas células endoteliais dos rins. O óxido nítrico é um transmissor renal que controla o tônus vascular e, desse modo, o fluxo sanguíneo nos rins. Melhora a permeabilidade celular aos nutrientes, a síntese de proteínas e provoca melhorias em nível circulatório renal, anti-inflamatório e imunológico. Dentro das células, a síntese de óxido nítrico catalisa a conversão da arginina em citrulina e óxido nítrico. No sistema circulatório, o óxido nítrico ativa a guanilato ciclase, incrementando a síntese de guanosina monofosfato (GMP) cíclica, o que produz um suave relaxamento muscular e a vasodilatação dos vasos sanguíneos.
• Ácidos graxos ômega-3 têm efeitos positivos na hemodinâmica renal, sobre o tônus vascular, o fluxo sanguíneo e a filtração glomerular, e apresentam propriedades anti-inflamatórias.
• Vitaminas C e E e ß-caroteno protegem o rim contra o dano oxidativo, neutralizando os radicais livres do oxigênio e diminuindo o dano do DNA.

Efeitos de OptiRenal na dieta

Em 2008, a NESTLÉ PURINA realizou um estudo para avaliar o efeito que a inclusão de OptiRenal teria na dieta de gatos adultos. Para isso, 40 gatos adultos (entre 1 e 7 anos de idade), machos e fêmeas castrados, foram divididos aleatoriamente em dois grupos, equilibrados para todos os parâmetros. O grupo Controle ingeriu uma dieta completa e balanceada e os gatos do grupo OptiRenal receberam a mesma dieta do grupo Controle complementada com OptiRenal durante três meses. Todos os gatos foram submetidos à dieta Controle por três semanas antes do início do ensaio. A manutenção de peso em geral foi satisfatória.

Análises realizadas

Para avaliar os efeitos da inclusão de OptiRenal na dieta, medições de diferentes parâmetros renais, urinários e sanguíneos foram realizadas três meses após o início da ingestão das dietas.


■ Índice de filtração glomerular

O índice de filtração glomerular é o volume de líquido filtrado pelos rins e, portanto, um parâmetro que indica a função renal. Ele é considerado um dos índices quantitativos mais confáveis da função renal. Foi medido no início e no final do ensaio em oito gatos de cada grupo.

■ Isoprostanos da urina

Os isoprostanos são marcadores muito exatos do estresse oxidativo, já que são formados não enzimaticamente por espécies reativas do oxigênio. Os isoprostanos da urina aumentam se houver lesão renal oxidativa.

■ Gravidade específica da urina

Esta análise permite avaliar o equilíbrio hídrico e a concentração da urina.

■ Relação proteína/creatinina urinária (RPC)

A relação proteína/creatinina urinária permite quantificar de maneira objetiva a proteinúria.

■ Capacidade antioxidante total

Os rins são responsáveis por 10% do consumo de oxigênio de todo o corpo e são um local de importante metabolismo aeróbico que produz espécies reativas de oxigênio como subprodutos. Esses radicais livres estão envolvidos no mecanismo de envelhecimento dos rins. O estresse oxidativo desempenha um papel muito importante em várias patologias degenerativas, e muitas doenças dos animais estão associadas à produção e ao metabolismo de radicais livres. A capacidade antioxidante total é um parâmetro que se mede no sangue e reflete a capacidade do organismo de neutralizar radicais livres. Ela avalia o dano oxidativo e é a medida do equilíbrio dinâmico entre o sistema antioxidante e os pró-oxidantes no soro.

■ Creatinina sanguínea

É um dos indicadores mais comuns para avaliar a função renal.

■ Vitamina E no sangue

Indica a capacidade antioxidante.

Os resultados do ensaio demonstraram que a dieta com plementada com OptiRenal diminuiu o estresse oxidativo. Foram observadas diferenças estatísticas nos valores dos isoprostanos da urina entre os grupos Controle e Experimen tal. Os valores do grupo OptiRenal foram significativamente menores nas 6 semanas e aos 3 meses (Gráfico 1).

Em relação à gravidade específica da urina, quase todos os valores se encontraram dentro da faixa normal. Esse parâmetro aumentou no grupo OptiRenal e diminuiu no grupo Controle, o que resultou em diferenças significativas entre os dois grupos aos três meses, embora não tenha havido diferenças nas seis primeiras semanas (Gráfico 2).

A gravidade específica da urina apresenta grandes variações diárias e deve ser analisada no contexto com outros parâmetros. Os valores medidos e calculados de RPC estiveram dentro da faixa normal. O quociente foi significativamente maior no grupo Controle em todos os momentos. As diferenças significativas das medidas de RPC foram observadas desde o início até a sexta semana, mas não para as alterações desde o início até os três meses (Gráfico 3). Quando o RPC foi calculado, as alterações foram significativamente diferentes entre os dois grupos.

Embora não tenha havido diferenças para a proteína, a creatinina foi significativamente maior no grupo OptiRenal em todos os momentos (Gráfico 4). Além disso, os níveis no grupo OptiRenal aumentaram significativamente com o tempo, enquanto que se mantiveram constantes no grupo Controle (que produziu diferenças significativas entre os grupos para as alterações de t0 a 6 semanas e 3 meses). Quando expressos em mg/kg de peso corporal/dia, os níveis foram numericamente maiores no grupo OptiRenal, mas não houve alterações no tempo e não houve diferenças entre os grupos. A maioria dos valores em ambos os grupos esteve acima da faixa esperada de 12-20 mg/kg PC/dia. No entanto, esta forma de expressar a creatinina na urina leva em consideração o volume de urina excretada, que está sujeito a grandes variações.

Portanto, os resultados devem ser considerados com precaução. Na ausência de doença renal, a creatinina na urina deve ser excretada em quantidades mais ou menos constantes. As concentrações de creatinina representam a taxa de filtração glomerular (TFG) e a excreção tubular ativa dos rins. No entanto, os resultados também poderiam estar relacionados aos diferentes níveis de atividade (ver a creatinina no sangue). Os valores de creatinina no sangue não se encontraram acima da faixa normal. Houve uma diminuição significativa no grupo controle que se traduziu em uma diferença significativa entre os grupos (em 6 semanas e aos 3 meses) (Gráfico 5).

Se considerarmos 80 uM o limite inferior da faixa normal, houve significativamente mais gatos no grupo Controle abaixo da faixa normal aos 3 meses (em comparação com t0). As diferenças podem ser explicadas pelos diferentes tipos de atividades. Os gatos do grupo OptiRenal encontravam-se em uma casa, enquanto que os gatos do grupo Controle foram distribuídos em mais de duas casas. Foram observadas mais atividades no grupo OptiRenal. Os níveis de vitamina E foram significativamente mais altos no grupo OptiRenal (Gráfico 6). Além disso, as alterações desde o início até a sexta semana e até os três meses foram significativamente diferentes entre os grupos. Isso demonstra uma maior biodisponibilidade da vitamina E da dieta complementada com OptiRenal. No entanto, em ambos os grupos os níveis de vitamina E diminuíram significativamente entre 6 semanas e 3 meses.

Conclusão


• Neutraliza os radicais livres nos rins, reduzindo o dano celular relacionado com o metabolismo oxidativo.
• Incrementa o fluxo sanguíneo renal e a taxa de filtração glomerular, e também melhora o número de mediadores vasodilatadores e reduz os mediadores pró-inflamatórios.

Dicas para fazer a transição para uma nova dieta em gatos com DRC